segunda-feira, 20 de abril de 2009

1º de Maio. Mais que 'Dia do Trabalho' pra mim!

Dia 1º de Maio fazem três anos que meu pai foi embora.
Às vezes parece muito mais; outras muitos menos.

Foi, deixando um bilhete na minha cama e outro na da minha mãe.
Fui a primeira a chegar em casa,e ver a demonstração de covardia daquele que era meu espelho. Daquele que me dizia pra enfrentar a vida. Que contradição, ele não soube fazê-lo.


O ano foi difícil. E sem dúvida, um adjetivo não é capaz de comportar toodas as emoções desse ano.
Eu pude constatar certas coisas nesse primeiro período.
1) Eu posso ser forte. E fui, como nunca pensei que pudesse ser. Afinal, alguém tinha que ser sensato por aqui.
Alguém tinha que domir com a mãe e abraça-la enquanto ela chorava.
Alguém tinha que dizer 'calma' enquanto dois seres brigavam.
2) JESUS FOI SEM DÚVIDA MEU MELHOR AMIGO! Até hoje eu me perguntou de onde saia força, equilibrio, paciencia, amor. E eu sei, era dEle! Se não o tivesse aqui comigo. Certeza! A Vaca ia pro brejo!
3) Mãe é gente!
é estranho, mas, pra mim foi uma constatação.
Pra mim (e pra muita gente) mãe é um 'estado'. Sei lá... Elas ja passaram dessa fase de emoções. Elas são nossas mães... E por ser, eu pensei que com ela fosse diferente.
Mas, não. Eu vi que mãe desmorona, pensa besteira, tem sonhos... E quando os vê destruídos? Ela chora. E não sabe o que fazer.
Foi nessa hora que eu vi, que acima de mãe, filha, tia, primo, é todo mundo SER HUMANO! E nossas experiências nos fazer ser quem somos! E isso independe de idade. Por uns meses, nós trocamos de lugar. Quem dava colo, era eu. Quem ia dormir na mesma cama, pra não ter mais medo, era eu. Quem ouvi as mágoas, as tristezas, era eu.
E MEO, se tem alguém nesse mundo que me dá orgulho, é minha mãe!
Eu não conheço, e nunca vou conhecer alguém como ela. É minha inspiração.
Mas, eu não tô aqui pra contar com detalhes o que me aconteceu. Não.

Quase não me acostumei com a idéia.
Quando os velhos amigos dele ligam, por muito tempo, eu dizia que ele não estava, que chegava mais tarde. Nunca que ele tinha ido embora.
Quando perguntavam na rua como ele estava, eu dizia que bem. Mesmo sem saber.

E eu nunca, nunca mesmo sentei com alguém pra contar como foi.
Por quê? Não sei.

Mas, o que eu queria mesmo com esse post, era fazer as pessoas entenderem que não importa a idade do filho, ele sempre vai precisar de você.
Ele achou que indo embora quando eu tinha 16 iria ser mais facil. Afinal, eu ja estava 'criada'. Era o orgulho dele. Como ele mesmo me diz 'eu tenho mais juízo que ele' (e tenho mesmo!).
Mas a dor e a saudade não mudam.
Sinto falta de, nesse momento por volta das 20h, 21h ouvir o som da TV do quarto dele.
Sinto falta de deitar na barriga enorme que ele tinha pra assistir jogo de domingo.
Sinto falta de sempre ter ele indo me levar e buscar onde quer que eu fosse.
Sinto falta dele me dizendo pra só arrumar namorado aos 40.
Sinto falta dele de cueca e meias pela casa, com a jarra de suco na mão, dançando feito um palhaço.
Sinto falta dos bilhetes que eu deixava de manhã pedindo dinheiro.
E isso independe de idade.

E sabe o que eu desejo?
NUNCA fazer um filho passar por isso. E pode ser um erro, pois certas coisas são inevitaveis e não programadas.
Por mais forte que ele seja, é um tipo de dor que atinge qualquer um.
Ta ai meu medo de casar. De ter filhos.
Porque quando temos filhos não somos mais sós. Vidas se ligaram permanentemente as nossas. E cada ato nosso, vai interferir nessas vidas.
E não tem pensão, 1 visita por mês, ou uma ligação de 5min a cada duas semanas que apague isso.




Ps.: eu não posto sobre minha vida num blog pra aparecer.
Escrevo, porque escrever me faz bem. E ter um canto meu pra isso me faz muito bem.
Quase ninguém vem aqui.
Eu escrevo, porque eu desejo que quem lê esteja interessado em saber minha vida.
Eu escrevo, porque eu desejo que quem lê esteja interessado em descobrir-se, refletir, e talvez, lendo as bobagens que eu escrevo, essa pessoa possa ser melhor!
Útopico. Totalemente!
E não tenho problemas com isso ;D

Se sou feliz? SIM!
'Nobody said it was easy'


*e desculpem os erros de digitação. Nunca reviso texto ¬¬'

2 comentários:

Lockhart disse...

Eu admiro sua coragem.

Letícia Santos disse...

eu admiro a sua força