quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Diferente

Hoje eu escrevo com uma dor no meu coração.
Uma dor que está aqui desde domingo a tarde e por mais que eu tente, ela é presente.
Você pode pensar que é bobagem, e a maioria não entenderia o que eu sinto.
Talvez nem eu entenda.

Afinal, é só um jogo, só 22 homens... bandeirinhas... um juíz... uma bol... duas torcidas
Era o que eu pensava que fosse.
Mas pra mim futebol é muito mais que isso.
E lendo as palavras do Conrado no Parmerista hoje eu me senti muito triste. Muito mesmo.


Eu convivo con futebol desde que me entendo por gente. Meu pai, uma amante deste esporte me levava com uns 4 anos pro campo onde ele costumava jogar bola aqui perto de casa com uma caixa de bombons e mais nada. Ali eu ficava me sujando toda de barro e vendo ele jogar.
Confesso, que só fui entender futebol mesmo muuito mais tarde. Diferente dos garotos que com uns 10 ja sabem tudo.
Mas, eu posso dizer, amo futebol.
E dentro dele encontrei meu clube de coração: a Sociedade Esportiva Palmeiras.
Meu amor pelo Palmeiras é algo que eu não posso explicar, porque eu não consigo.
Eu me apeguei tanto ao clube, ao Palestra Itália, a torcida, as cores, ao escudo, que eu num me imagino sem o Palmeiras por um dia. Toodo dia é dia de ir na comunidade no Orkut, de olhar os blogs da mídia palestrina, de me informar, de sair com meu chaveiro que não importa com que bolsa eu esteja sempre esta comigo, enfim... me orgulho do meu time, de verdade.
E não é pq ele é 6-3-3... Não é porque ele tem o melhor elenco... Não é por nada disso.
É porque eu o amo. E isso basta. Assim, do jeito que é.
Por ele eu sofro, eu choro, eu xingo, eu tenho raiva, eu pulo de alegria, grito sozinha...

Só que eu não sei mais se vale a pena fazer tudo isso.
Eu sempre soube que o futebol era um campo sujo, imundo...
Mas eu ouvia falar...
Ouvia um menino rebater outro sobre o jogo X, o campeonato Y, a Fifa, o lance, o juíz, o penalt, o MSI, enfim...

Mas domingo EU VI.
Vi roubarem o meu Palmeiras descaradamente.
E me doeu taanto. Porque pra mim futebol sempre foi magia, superação, garra...
Esporte é isso pra mim.
Só que o jogo de domingo me fez desacreditar de tudo isso. Mesmo.
É como se eu fosse uma criança que fosse sentar no colo do papai noel no shopping, puxasse a barba dele e visse que ele é de mentira. É bem assim que eu estou me sentindo.
Eu não deixei de amar meu time. Acho isso impossível.
Mas, acho que vou vê-lo jogar só pelo prazer que isso me trás.
Não vou mais esperar nada de campeonato nenhum.
Não penso que minha carreira preferida seja como jornalista de esportes depois disso...
Assim como o Conrado, como meu presidente (que me orgulha MUITO!) Belluzzo, eu tenho moral. Tenho meus princípios. E eles não esperam mais nada do futebol brasileiro.
Mais nada.


Esse post pode ser apenas indignação. E É.
E eu possa voltar atrás em tudo o que eu digo aqui na Libertadores do ano que vem haha.
Acho difícil, confesso.
Mas eu queria dizer o quanto me decepcionei com tudo isso.
Apenas te amo Palmeiras.
E deixo aqui a marca desse amor, a minha mais profunda indignação.

E nada me impede de acreditar, que seremos campeões. Contra tudo e contra todos.

Um comentário:

marinadosanjos disse...

Jak, não curto e não me identifico com o futebol, mas vi essa reação em várias pessoas essa semana e, depois de ler seu texto comecei a entender um pouco dessa paixão que não me apaixona. Muito bom seu texto, de verdade.