quinta-feira, 13 de maio de 2010

O nome disso é saudade

Hoje encontrei no trem vindo pra casa um menino que no meu tempo de terceiro ano era bixo. Lembro de ter dado trote nele HAHA. Guardei suas feições por causa do nome inusitado e ao mesmo tempo familiar: Khin.

No tempo, ele era pequeeeno, japinha liiindio, de aparelho, tímido. Agora é grande, dentes retinhos, voz grave e acredite se quiser, foi ele que veio falar comigo.

A conversa foi proveitosa, rimos bastante, falei da facul, do estágio. Ele, da ETE, do técnico em Jurídico no Bexiga. Rimos dos professores, lembramos fatos.

E não, eu não vim aqui falar disso. Eu vim aqui falar da Escola Técnica Estadual Júlio de Mesquita.

Conversar com um ‘contemporâneo’ me fez lembrar um monte de coisas. Sentir um turbilhão de emoções. E me deu a inspiração pra transformar em palavras a saudade que eu tenho sentido de lá. Na verdade, muito mais das pessoas e da convivência com elas do que dos prédios grandes e frios.

Eu não sou do tipo nostalgia feelings. Acho que as coisas têm um tempo determinado pra acontecer, começar e terminar, bem como diz Eclesiastes 3.1.

Mas, se eu pudesse escolher uma época da minha vida pra viver de novo por um diazinho que fosse, seria meu 3º ano. Eu deixaria passar o tempo em que eu dançava, cantava, não fazia nada, comia e era magra, tinha o cabelo bom... Tudo, por um diazinho de 3E.

Um dia de jogo dos Conrado’s. Um dia de Educação Física com muito futebol ruim. Um dia de filme tosco da Tia Bel, onde ela largava a gente no Antro dos Ácaros e riamos até não poder mais das bizarrices e das conversas paralelas, claro u.u haha Até das aulas doidas do Fred, e dos ‘certo ou não certo’ do Cesão eu queria um pouco.

Queria aqueles almoços naquela mesa enoorme com Dolly ou Coca dividida por um dia. Queria aqueles banhos intermináveis com sabonetes e shampoos passando pelos boxes para serem emprestados.

Queria ver o Cana, o Thauan e as Gloss conversando enquanto eu os observava de longe. As risadas intermináveis do Kibe, Gugu e Grafiti falando um monte de besteiras. Queria a serenidade da Khin, Bárbara, Mãe, Mona.

Queria os corredores vazios pra eu deitar e tirar meu cochilo. Queria aquela fogazza de frango. Queria até aquelas tatuagens maneiras que eu tinha há um tempo atrás hahaha ou os termômetros do amor no meio das explicações de CVS-6 rs QUERIA ATÉ AULAS SOBRE OVO! HAHAHAH

Talvez eu sinta tanta falta porque não vivi com intensidade. Talvez, eu sinta tanta falta porque vivi com muita intensidade. Não sei.

Só sei que sinto de cada um daqueles que fizeram meus dias melhores uma saudade que, sinceramente, nunca imaginei que fosse sentir.

Sabia que ia ser difícil. Mas, nunca pensei que ficaria presa nas lembranças da forma que estou.

Se me arrependo de alguma coisa? Claro! Me arrependo de ter perdido tempo com algumas coisas (gostar do Thauan (sério, de onde saiu essa? Haha) ou me importar tanto com a rivalidade Conrado’s x Game Over, logo, TUC x TOGO). Certas emoções me desgastaram demais. Mas, eu tinha que passar por elas. E passei.

Às vezes eu acho que a culpa é um pouco minha de ser tão distante deles. Culpa é a palavra errada, inclusive.

Na verdade eu simplesmente sou muito diferente de todo mundo que amo. Logo, o que me aproximaria deles acaba nos afastando. Não me vejo em barzinhos todos os fins de semana. Talvez, se me visse a saudade seria menor. Mas, é um preço que pago pela minha caretice. Não adianta tentar ser o que não sou.

A faculdade, o estágio, o trabalho, a distância...

Só queria colocar pra fora um pouco todo esse sentimento. Essa saudade que eu vou carregar comigo pelo resto dos meus dias. E não é clichezão não! Depois de tanto tempo, com quase 20 nas costas eu ainda sinto isso. É permanente, não acaba assim não.

A culpa?

A culpa é da Bárbara, que se tornou INDISPENSÁVEL na minha vida.

A culpa é da Mari, que virou um alicerce que estava presente sempre que eu precisava. Que me ajudou em tantas coisas...

A culpa é das Gloss sempre carinhosas comigo.

A culpa é do Thauan que me fez, sei lá como haha, amá-lo tanto mais tanto que eu tenho ele como se fosse um irmão.

A culpa e do Cana , do Russo, do Kibe e do Grafiti que só me faziam rir.

A culpa é da Khin, minha irmã em Cristo de quem eu num largo mais!

A culpa é do quarteto de Nutrição (JB³ HAUHAH) que me rendeu taantos momentos bons que dão um livro!

A culpa é do Gustavo que sempre foi um amigo muito querido. A gente se entende mesmo se desentendendo haha

A culpa é da Bi e daquele abraço do meu tamanho e de um coração do tamanho do mundo.

A culpa é do Bonsai com sua indiferença cativante AHAHA

A culpa é minha, que me apego rs

Eu queria escrever as coisas mais lindas pra vcs. Mas, eu não consigo.

Eu quero terminar dizendo as verdades absolutas que permeiam todo esse texto:


EU AMO VOCÊS E TENHO MUITA SAUDADE

4 comentários:

Luiz Felipe Leite disse...

Belo desabafo, Jak.

Muita gente tem a relação com a turma de EM como oito ou oitenta. Ou amou e lembra até hoje de como foi boa a experiência ou odiou e lembra até hoje de como foi ruim a experiência!

Very well, little jak! :)

Mariana disse...

Jaaaak!

Preciso falar que chorei? hahaha Você já deve saber!

Eu sinto falta todos os dias... Mesmo que por um instante...

Foi a melhor época da minha vida, as melhores pessoas da minha vida!

E eu sei que a gente pode ficar sem se ver por 1 ano, que quando a gente se ver vai ser a mesma coisa, mesmas besteiras, mesmas risadas, o mesmo amor!

Jaak, minha pequena grande surpresa que sempre tava do meu lado quando eu precisei!

Te amo também, e sinto muita saudade!

Bárbara Cristy disse...

Mêo,você sintetizou bem em palavras um sentimento que com certeza todos nós temos em comum,que é a saudade.

É uma pena que ao tomarmos rumos diferentes a convivência fique impossível,aquele cotidiano que tinhamos juntas fique pra trás.E temos que nos contentar com alguns momentos de encontro (cada vez mais raros) que servem pra matar a saudade,por fofoca em dia,saber como anda a vida uma da outra etc.

Mas é fato que o que vivemos foi muito intenso,tá bem guardado na memória e gravado no coração.Por mais que as pessoas que eu encontre na facul ou no trabalho sejam legais,nunca serão comparáveis as pessoas do 3E.Até mesmo por que não viveram aquela magia,aquela emoção dos 17/18 anos que vocês viveram comigo.

Sinto sua falta,sinto falta de outras pessoas em específico e sinto falta daquela emoção,daquela magia que só a ETE,só os 17/18 anos,só o 3E puderam me proporcionar.


Aquele abaraço, e aquele tapa na bunda! ;)

Khin Stephanie disse...

Jak, que lindo!

Saudade... talvez seja um dos sentimentos que eu mais gostaria de evitar! Mas ao mesmo tempo o fato de poder sentir saudade quer dizer que tudo o que passamos foi marcante. E pra mim foi exatamente assim!

Esses dias foi meu aniversário, e sabe qual a lembrança que me veio? Voces cantando parabéns pra mim na aula de Ed. Física, muita vergonha! Eu nem conhecia voces direito e mal sabia a grandeza da importância que voces teriam na minha vida!

Eu sinto muita falta de vocês! Com toda certeza foi o melhor ano de escola de todos! Tudo era muito especial na ETE, principalmente voces!
Sempre falo de voces pra todo mundo... as vezes falo como vocês o sotaque do 3E)... E sempre comento que não há nenhum outro time melhor pra jogar do que a TUC! =D
E esses dias parei pra pensar por que será que demoramos tanto tempo pra encontrar pessoas tão importantes na vida! Poxa demorei 17 anos! O destino não nos deixa escolher né!
Mas valeu a pena cada segundo!

E eu aceito a saudade, porque ela me lembra do quanto eu amo vocês!

Beijo Jak!